• NEUROMODULAÇÃO TRANSCRANIANA NO TRATAMENTO DA DEPRESSÃO, TRANSTORNO DE ANSIEDADE, PARKINSON, DORES CRONICAS, DEPENDENCIA QUÍMICA, TINNITUS (zumbidos)

    ..........................................................................................................................................................................................


  • cerebro

    A Neuromodulação consiste em submeter o córtex cerebral de forma direta ou indireta a um estímulo elétrico, promovendo alterações neuroquímicas nos neurônios. Isso libera neurotransmissores que podem ser excitatórios ou inibitórios, o que resulta em uma facilitação ou inibição de alguma determinada função ou comportamento, dependendo do local onde o estímulo elétrico foi ofertado, da duração e de suas características.

    Desde a época do Império Romano, temos registros do uso da estimulação elétrica transcraniana para os tratamentos de dores de cabeça e epilepsia. Mas foi na década de 1960 com os avanços das pesquisas clínicas na área de neuro tecnologia que na Alemanha essa técnica ganhou grande interesse de estudo e aprimoramento. Hoje é muito utilizada em vários países da Europa e Estados Unidos e ajuda muito pacientes que sofrem de distúrbios e doenças neuropsiquiátricas tais como a depressão, comprometimentos da memória, dependência química, fibromialgia, transtorno de ansiedade, enxaquecas, transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, distúrbios cognitivos. De lá para cá, é um dos ramos da medicina que mais se expande, com novas descobertas a cada ano, é a era da biotecnologia aplicada para ajudar pessoas que sofrem de transtornos neuropsiquiátricos ou comportamentais ou desejam aperfeiçoar o desempenho do seu cérebro.

     

    A Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC) é um tratamento avançado de neuromodulação aplicado, de forma segura, não invasiva e indolor através de uma corrente fraca direta que se desloca por dois eletrodos posicionados em regiões externas do crânio estrategicamente determinados pelo profissional competente, gerando uma pequena corrente galvânica que altera a atividade elétrica cerebral da área trabalhada, aumentando ou diminuindo a excitabilidade cortical. O grande benefício em relação aos medicamentos é que seus efeitos colaterais são praticamente inexistentes.

    untitled

    COMO É FEITO O TRATAMENTO?

    Em geral, o tratamento consiste em sessões diárias que duram em média 1 hora, ao longo de 2 a 4 semanas, ou 10 a 20 dias úteis. Após este período de tratamento agudo, normalmente propõe-se um tratamento de manutenção individualizado, que pode variar de 2 vezes por semana ou 2 vezes por mês, no entanto, o número total de sessões e frequência deve ser sempre avaliado pelo profissional, de acordo com a resposta clínica do paciente.

    CONTRA INDICAÇÕES:

    Pacientes que possuam qualquer tipo de dispositivo metálico implantado, tipo marca-passo ou clipes, placas no cérebro/crânio.

    PARA QUEM É INDICADO?

    É indicado nos quadros de depressão (inclusive aqueles refratários aos antidepressivos), transtorno de ansiedade, dores crônicas, fibromialgia, tinnitus (zumbido no ouvido), dependência química, doença de Parkinson, insônia, transtorno de déficit de atenção e aprendizagem e sintomas ligados ao stress, distúrbios da memória.

    Yara Lorenzetti psicóloga especializada em ETCC Estimulação Transcraniana por C.C.